segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Lembranças...



Tudo começou à 15 anos atrás, na verdade quase dezasseis. Vim ao mundo no dia 28 de Junho de 1995, o dia em que a minha vida começou, o dia em que comecei a errar e a aprender. Podia contar coisas e recordações da minha infância, datas e momentos importantes ou os mais engraçados que retenho na minha memória. Só que lembranças essas que não estão muito nítidas e não me lembro de nenhuma especificamente. Pode-se dizer que a minha vida é como qualquer outra. Já me senti a explodir, fora do meu lugar, como se não fosse daqui e que ninguém me entendesse. Já chorei, já ri e sorri, chorei de tanto rir. Já me tranquei no quarto, com a música ligada e bem alta, capaz de abafar o som do meu choro e para ninguém me ouvir. Já me senti perdida na escuridão e deitar-me no chão frio a pensar… a pensar que queria ser outra pessoa, ser outra pessoa por estar cansada de ser posta de lado. Já provei o sentimento do desespero, estar cansada de tudo e de todos, com mentiras e sorrisos falsos ao meu redor. Sentimentos estes que aposto a minha vida que toda a gente, já sentiu, nem que seja uma única na vida.
Mas desde à três anos atrás que eu estou mais atenta à minha vida, aos meus sentimentos, a quem me rodeia, a o que acontece, e guardo mais preciosamente na minha mente e no meu coração com todo o cuidado. Talvez porque aquele dia mudou a minha vida totalmente. Nunca me irei esquecer daquela noite quente de Verão. Aquelas férias maravilhosas em que a minha vida mudou completamente. Eu sabia que aquele dia ia ser especial, sentia-o no meu coração. O dia 8 de Agosto de 2008 ficou marcado no momento m que olhámos um para o outro com um mínimo sentimento de vergonha. Notei de imediato, algo de diferente naquela pessoa. Os olhos esverdeados dele brilhavam como um diamante raro e o seu cabelo loiro juntamente com o seu sorriso encantador, fascinou-me como que automaticamente.
Senti naquele momento que me tinha prendido àquele ser que parecia impossível de existir de tão perfeito que era. Eu sabia que ele era visto e conhecido por ser bastante alegre, extrovertido e sociável. Apesar de nunca ter tido a oportunidade de falar com ele, no fundo do meu coração desejava que tal momento acontecesse e que se realizasse muito depressa naquela noite. Sentia-me confiante mas ao mesmo tempo com receio. Finalmente ele ganhou coragem e dirigiu-me a palavra. Convidou-me para dançar. Tive o sentimento de que o meu coração ia parar de bater. Senti as minhas faces a corar e aceitei claro, sabendo que nunca lhe conseguiria negar algo aqueles olhos verdes que, por detrás deles, havia tanto para descobrir, e eu desejava e iria descobrir. A partir desse dia ele ficou para sempre no meu coração como uma pessoa única, inigualável, cheio de histórias e aventuras para contar! Hoje, estamos mais unidos do que nunca, e sinto-me honrada por ter esse privilégio. Ele é especial. Apesar de sermos de sexos diferentes, ele entende-me e eu a ele. Ele tem uma maneira de pensar incrível, que me deixa completamente deliciada a olhar para ele, a reparar no jeito como fala, como anda, como toca nas coisas… É como o mar, tão livre e bonito! Em breves palavras, considero que adquiri uma pessoa para a vida inteira, e sei que se algo acontecer ele vai amar-me e continuar ao meu lado para sempre, como eu própria farei para o resto da minha vida.
E na vida, toda a gente precisa de uma inspiração, de uma alma, de uma linda melodia, que encanta na noite tão fria.


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário