quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Resenha - Julieta de Anne Fortier

“E se descobrisse que era descendente de Romeu e Julieta?

Julieta, um ambicioso e sedutor romance, segue a odisseia de uma jovem que descobre que as origens da sua família remontam aos amores frustrados dos dois maiores amantes da literatura: Romeu e Julieta.
Quando Julie Roberts herda a chave de um cofre em Siena, Itália, dizem-lhe que ela conduzi-la-á a um tesouro de família. A jovem lança-se numa jornada tortuosa e perigosa, mergulhando na história da sua antepassada Julieta cujo amor lendário por um jovem chamado Romeu abanou os alicerces da Siena medieval. À medida que Julie se cruza com os descendentes das famílias envolvidas no inesquecível conflito familiar de Shakespeare, começa a perceber que a conhecida maldição – «Malditas sejam as vossas casas!» – continua actual e que ela é o alvo seguinte. Parece que a única pessoa capaz de salvar Julie é Romeu – mas onde está ele?”

Saíndo do tema do sobrenatural, entramos num romance cheio de acção e por detrás da história temos um romance que toda a gente conhece "Julieta e Romeu"! Nota-se o tamanho da pesquisa que Anne Fortier e a sua mãe fizeram para dar origem a este livro. E apesar das suas 509 páginas, lê-se tão rápido que no fim desejei ler nem que fossem mais umas linhas. A escrita, que não chega a ser nem simples nem díficil - contribui para nos envolvermos mais na história, bem como as pequenas citações no início de cada capítulo e a capa que (pelo menos para mim) como que grita Olhem para mim!
Ao longo do livro, vai-se descobrindo a relação entre a história verdadeira de Romeu e Julieta e a história do livro em si, e assim chegamos a ter duas histórias no livro, o passado e o presente.
Suspense, amor, mistérios e uma grande maldição escondida através de uma trama que promete intrigar o leitor até a última página. Isso tudo e muito mais que encontramos no livro Julieta da autora Anne Fortier. Esse livro é a prova viva de que as aparências enganam. Começamos a devorar as deliciosas páginas dele, pensando estar a caminhar numa linha reta e quando menos se espera a viagem muda de trilho. Adorei e recomendo a leitura para quem, como eu, é uma romântica incorrigível. A história medieval é lindíssima e a esperança de um final feliz na história contemporânea é estimulante. Mas será que o final feliz acontecesse?



Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário