quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Resenha - As cinquenta sombras mais negras





"Perseguida pelos negros segredos que atormentam Christian Grey, Anastasia Steele separa-se dele, e começa uma carreira numa prestigiada editora de Seattle. Mas por mais que tente, Anastasia não o consegue esquecer – ele continua a dominar-lhe todos os pensamentos. E quando Christian lhe propõe reatarem a relação com um novo e diferente acordo, ela não consegue resistir.
 Aos poucos, uma a uma, começam a revelar-se as Cinquenta Sombras que torturam o seu autoritário e dominador amante. Enquanto Grey se debate com os seus demónios, e revela a Anastasia um lado inesperadamente romântico, ela vê-se obrigada a tomar a mais importante decisão da sua vida. Uma escolha que só ela pode fazer…"

Neste segundo livro, o casal da trama está separado, porque como sabem no final de “Cinquenta sombras de Grey”, Ana descobre que está apaixonada por Christian, querendo ser mais do que uma simples submissa para ele e ainda descobre que não aguenta e não consegue fazer tudo o que o Mr. Grey quer. O que ela não sabe é que Christian vai dar tudo por tudo para tê-la de volta, até mesmo reformular toda a sua vida sexual.

Narrado na primeira pessoa como no primeiro livro, ou seja, da vista de Anastasia, a obra vai seguir o mesmo estilo de narrativa, o que significa que continua a ser uma narrativa pobre, só que desta vez ela consegue abusar ainda mais dos diálogos internas e da “deusa interior”, que como eu disse na resenha anterior, me irrita profundamente. Continuamos com o mistério de Mr. Grey, o que torna a personagem ainda mais interessante e misterioso e o leitor acompanha Ana na sua viagem de descoberta das cinquenta sombras de Christian.

Temos uma Sra Robinson mais ativa e curiosa. Esqueci-me de mencionâ-la na resenha anterior. Ela foi a mulher que introduziu Christian no sadomasoquismo, quando ele ainda era menor. Ela cerca o seu Ex-sub com cuidado desnecessários, até chega ao ponto de se intrometer na relação de Ana e Christian a todo o custo e contra a vontade deles. É daquelas personagens que só apetece apertar-lhe o pescoço, porque ela aparece sempre no momento inoportuno! E claro que Anastasia não gosta nada da Sra Robinson, nenhuma mulher gosta da ex do seu atual companheiro. É um facto!



Também temos certa ação ao aparecer uma Ex-sub de Mr. Grey, o que torna a trama mais enérgica e enigmática. O livro é mais longo, mais dinâmico e mais baunilha que o seu anterior, aspeto que eu adorei. Este livro é o que revela o passado de Christian e que nos faz entender muita, mas muita coisa que ficou por responder no livro anterior. Vamos notar algumas mudanças nas personagens. Ana está mais independente e arruma um emprego na sua área. Mr. Grey ficará mais carinhoso e sentimentalista e haverá um amadurecimento na personagem de Anastasia.

Cinquenta sombras mais escuras é incrivelmente mais romântico. Enquanto o primeiro da série foca mais a parte física da relação de Ana e Christian, o segundo destaca o lado mais emocional. O amor que no primeiro livro apenas começou a nascer, aqui deixa de ser um sentimento sutil em desenvolvimento e se torna algo evidente e precípuo. Além de toda esta carga dramática e maratona sexual, ainda temos suspense, ação, ciúmes, brigas, reconciliações, mais discussões e por aí. E eu não poderia deixar – outra vez – de mencionar os e-mails. As trocas de mensagens entre Anastasia e Christian são ótimas porque são espirituosas, divertidas e dão uma leveza na história que, em tantos momentos, se mostra tão tensa. Estes momentos são dos melhores tanto no primeiro livro como neste.

Apreciei bastante mais este segundo volume do que o primeiro. Indico para aqueles que buscam uma leitura simples, leve e de entretenimento. E também para aqueles que buscam algo bem mais interessante do que a simples (apesar de prazerosa) leitura de um livro.



Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário