quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Critica literária - Magia do Vento

 “A Sarah voltou para casa”. Desde que Damon Wilder procurou refúgio em Sea Haven ouve-se o mesmo boato passar de boca em boca de quase todos os habitantes da pacata vila costeira. Até o vento parece murmurar o nome dela – um devaneio tão sugestivo que leva o curioso Damon até à casa da falésia de Sarah, onde procura o seu abrigo. Mas Damon não chegou sozinho. Foi seguido por alguém até Sea Haven. Alguém que rodeia as sombras da casa Drake, onde Sarah esconde os seus próprios segredos. O perigo ameaça os dois – tal como o desejo mais premente que alguma vez sentiram – e está a apenas um sussurro de distância.

Este é primeiro livro que leio de Christine Feehan. Este volume é o ínicio da saga "Irmãs Drake" e cada livro conta a história de uma das sete irmãs. Nesta família, em todas as gerações há sempre sete irmãs. Todas elas são especiais porque são bruxas e estão sempre envolvidas numa aura mágica.Cada uma tem um poder específico e quando juntam os seus poderes tornam-se fortes. Em Sea Haven, a população conhece e aceita as características especiais desta família, estimando-as, acarinhando-as e agradecendo os seus atos de bondade. Este romance é centrado na irmã mais velha, Sarah, que regressa a Sea Haven e se depara com um homem, Damon, e a atração é quase imediata. 

O livro é quase como uma pequena introdução às sete irmãs e o leitor fica a saber certos pormenores, tais como a irmã mais nova tem sempre 7 filhos, a irmã mais velha apaixona-se por aquele que conseguir passar pelo portão principal da casa, neste caso, é Damon. Com apenas 160 páginas, é um romance curto, sem grandes desenvolvimentos ou brigas pelo meio, havendo uma descrição apressada de todos os acontecimentos. Há sempre um ambiente de mistério e um cenário marítimo em volta da personagem principal e do passado de Damon que é revelado ao longo do livro. 

A relação de uma das irmãs chamada Hannah e um rapaz, Jonas, torna-se bastante óbvio do que irá acontecer, uma relação amor-ódio, que será explorada noutro volume. A escrita é simples mas bem definida, mas muito centrada nos sentimentos do casal. O final incerto dá uma pitada de curiosidade para ler o livro seguinte. A temática está bem delimitada, mas devia ter sido amplificada para entendermos todo aquele fascínio pelas irmãs Drake. 

É com grande expectativa que vou ler o segundo livro, que já apresenta um tamanho razoável, e que me fará voltar a viagem num mundo de encantamentos e feitiçaria!


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário