quarta-feira, 20 de março de 2013

Crítica Literária por Rodrigo - Exorcista de William Peter Blatty

Publicado pela primeira vez em 1971, O Exorcista tornou-se não só um fenómeno literário como um dos livros mais assustadores e controversos alguma vez escritos. A história centra-se em Regan, a filha de onze anos de Chris MacNeil, uma ocupada actriz que reside em Washington D.C. A criança aparenta estar possuída por um demónio ancestral e cabe a dois padres a dura tarefa de o exorcizar, arriscando a sanidade e a própria vida. O Exorcista transcendeu as páginas escritas e saltou para o grande ecrã, onde se tornou uma referência incontornável do cinema. Mas se pensa que o filme é assustador, leia o livro. Até porque o filme nem chega a aflorar a ponta do iceberg! Propositadamente crua e profana, O Exorcista é uma obra com a capacidade de nos chocar, levando-nos a esquecer que «é apenas uma história». 

O Exorcista conta a história de Regan, uma rapariga de onze anos cuja mãe é uma actriz bastante ocupada, que reside em Washington.
Ao longo da história, podemos ver a evolução dos problemas de Regan, uma jovem que aparentava ser normal, mesmo sem o apoio constante da sua mãe. A criança começa a ter pequenos problemas que depois se tornam em grandes e duras adversidades, tanto mentais como físicos. A sua mãe preocupada com esta estranha mudança de personalidade da filha começa a procurar médicos e psiquiatras para tentar perceber, o "porquê" da sua filha estar a comportar-se de tal maneira. 

Acaba-se por descobrir que Regan está possuída por um demónio ancestral e cabe a dois padres fazer o exorcismo do próprio, ao mesmo tempo que arriscavam a sua vida e a sua sanidade mental. 

Confesso que nunca vi o filme e foi uma das razões que me fez comprar o livro, estava curíoso, pois todos os fãns de terror falam do famoso Exorcista. Estava à espera de muito, e não me desiludi. É um livro bastante compreensível e que nos agarra, principalmente nas partes onde a jovem demonstra sérios problemas. 

Nunca tinha ouvido falar de mais nenhuma obra de William Peter Blatty, mas como gostei bastante desta maravilhosa obra, penso que irei ler mais. 

O Exorcista, marcou a carreira do escritor, já que esta obra permaneceu 57 semanas no top de vendas do New York Times, 17 das quais em número 1. 

Mais tarde, Blatty transformou O Exorcista num guião que veio a resultar num dos mais famosos filmes de terror de sempre. 

Achei a capa fantástica, e penso ter sido uma óptima escolha, pois se os editores tivessem obtado pela cara de Regan (no filme) como capa, quase ninguém iria comprar o livro, pois a maioria das pessoas que viu o filme não tem conhecimento dos imensos pormenores que são acrescentados no livro, já que foi este que deu origem ao fenómeno cinematográfico. 

Rodrigo Cotas


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário