quarta-feira, 6 de março de 2013

Critica Literária por Rodrigo - Passeio à Beira-Mar de Joan Anderson

Depois do bestseller Um Ano à Beira-Mar, uma obra autobiográfica sobre o percurso de uma mulher até à auto-descoberta e auto-realização, chega Passeio à Beira-Mar, um livro que ensina a viver intensamente cada segundo da nossa vida. A história de vida de Joan Anderson é um testemunho terno e sincero da sua condição de mulher, e, simultaneamente, um relato inspirador que tem ajudado milhões de pessoas a reencontrar a alegria de viver.
Passeio à Beira-Mar, de Joan Anderson centra-se em 'Joan', uma personagem fictícia mas intensamente ligada à autora, uma mulher de aproximadamente cinquenta anos que está a passar por uma fase bastante complicada da sua vida. Com a saída do filhos para a faculdade, e do seu marido por questões de trabalho, Joan vê-se sozinha numa casa junto à praia, sem nada saber acerca do seu novo rumo de vida. Num passeio à beira-mar, a mulher encontra uma senhora de idade, que após algumas conversas, veio a descobrir que essa pessoa também tinha o mesmo nome que o seu. 

Ao longo do livro, vamos conhecendo às várias fases da vida de Joan, sendo que sempre acompanhada pela sua nova, velha amiga, que, podemos dizer é uma chama da vida. A velha Joan, é uma senhora com tanta vida e com tanto poder de ajuda, que nos faz mudar a nossa opinião em certos assuntos relativamente aos idosos. Ela ensina a personagem principal a gostar de viver, a gostar de ser quem é e a mudar o seu rumo de vida. 

Pessoalmente, eu gostei imenso deste livro, pelo facto de que ele nos traz variadíssimas lições de vida, como por exemplo num relacionamento. Ninguém deve estar preso a outra pessoa, apesar da intensa ligação que os une, cada um tem o seu espaço, cada um tem a sua vida, o seu rumo. A idade é algo que não importa, no que diz respeito à nossa maneira de viver. Temos de ter um tempo para nós, no meio das nossas rotinas, temos de ter alguma diversão. Devemos passear, devemos escutar o mar e o vento. Enfim, devemos ser nós mesmos e pensar pela nossa cabeça. 

Nunca tinha lido nenhuma obra desta escritora, mas fique bastante surpreendido ao ver a sua tamanha capacidade de cativar as pessoas. Para além disso, gostei muito da capa, porque é uma capa fiel ao livro e ao seu enredo. Se nunca tiverem lido nada desta maravilhosa autora, aqui fica uma óptima obra para começar. 

Rodrigo Cotas


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário