segunda-feira, 18 de março de 2013

Crítica Literária - The Vincent Boys de Abbi Glines

Ser a boa menina não é tão bom como deveria ser. Ashton Gray esta cansada de fingir para agradar os seus pais, e para ser digna do príncipe da cidade, Sawyer Vincent. Talvez por isso ela tenha se aproximado do primo de Sawyer, Beau, enquanto ele está fora no acampamento de verão com a família. Beau não tem nada a ver com o namorado perfeito. 
Ele é o homem mais sexy que ela já viu, perigoso de forma que apenas havia sonhado, e é o tipo de rapaz do qual deve permanecer afastada. Beau nunca invejou Sawyer e od seus amorosos pais, a sua casa grande e bonita ou a sua posição na sociedade. Ele o ama como a um irmão. Razão pela qual tem tentado se manter longe da namorada de Sawyer. Mesmo que ele a tenha amado desde a idade de cinco anos, Ashton é a garota de Sawyer, portanto, está fora dos limites. No entanto, quando Sawyer viaja no verão, Ashton, a rapariga pela qual Beau moveria céus e terras, decide que quer entrar em apuros. Apunhalar pelas costas a única pessoa que sempre o aceitou e o apoiou, é o preço para ter Ashton Gray em seus braços. Será que vale a pena perder seu primo por ela?...  Caramba, sim.

Sawyer Vincent e Beau Vincent são primos e ambos são amigos de infância de Ashton, a filha do pastor. Desde de crianças que Ashton e Beau são os melhores amigos e "parceiros no crime", ou seja, são uns traquinas, realizando partidas ao longo da sua infância. Os três amigos acabam por crescer e Sawyer interessa-se por Ashton começando assim um namoro em que a jovem esconde o que realmente é, deixando para trás a menina traquina e travessa para se tornar numa rapariga séria e desprovida de diversão, e ela acaba por se afastar de Beau.

Beau esconde os seus verdadeiros sentimentos por Ashton por lealdade a seu primo, mas cada vez se torna mais difícil ver a rapariga que ele ama aos beijos com o próprio primo e irrita-o saber que a sua amada está a tornar-se em algo que não é o seu verdadeiro eu. Mas tudo muda quando Sawyer vai de férias com a sua família, permitindo assim a possibilidade de Beau se aproximar de Ashton. A jovem percebe que durante anos camuflou sentimentos pelo primo do seu namorado e entra em pânico porque não se quer meter no meio da relação deles, porque para Beau e Sawyer eles são mais que primos, são irmãos. 

Mas atracção acaba por vencer e os jovens envolvem-se durante o tempo em que Sawyer está fora. Eles aproveitam cada segundo juntos pois sabem que no momento em que o namorado de Ashton voltar tudo acabará. Mas Beau não vai desistir tão facilmente da rapariga que ama, nem mesmo que seja em benefício do seu primo.

Contanto a história em duas perspectivas, o leitor tem acesso ao mais íntimo das duas personagens principais, de todos os seus conflitos interiores. Em Ashton é realçado a pressão que a sociedade faz, pois ela muda não por querer mas por causa do namorado e do pai, já que eles esperam alguém que se comporte correctamente apesar de ela ser uma alma selvagem. Já Beau é visto como um mau exemplo, pois ao contrário da jovem ele não esconde a sua verdadeira essência.

 Com surpresas, ciúmes, paixão, este livro mostra que uma simples amizade pode florescer para algo mais e que quando se ama de verdade somos capazes de tudo, mesmo magoar as pessoas que nos são importante. 



Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário