segunda-feira, 23 de setembro de 2013

[Crítica Literária] O Beijo Encantado de Eloisa James

Forçada pela madrasta a ir a um baile, Kate conhece um príncipe… E decide que ele é tudo menos encantado. Segue-se um esgrimir de vontades, mas ambos sabem que a atracão irresistível que sentem um pelo outro não os levará a lado nenhum. Gabriel está prometido a outra mulher - uma princesa que o ajudará a alcançar as suas ambições implacáveis.
Gabriel gosta da noiva, o que é uma surpresa agradável, mas não a ama. Obviamente, deve cortejar a sua futura princesa, e não a beldade espirituosa e pobre que se recusa a mostrar-se embevecida.
Apesar das madrinhas e dos sapatinhos de cristal, este é um conto de fadas em que o destino conspira para destruir qualquer oportunidade de Kate e Gabriel poderem ser felizes para sempre.
A menos que um príncipe abdique de tudo o que o torna nobre…
A menos que o dote de um coração indisciplinado triunfe sobre uma fortuna…
A menos que um beijo encantado ao bater da meia-noite mude tudo.

Segundo livro lido da escritora Eloisa James. Feedback? Gostei um pouquinho mais do Milagre de Amor do que este. Este é o primeiro volume da série Fairy Tales (O Milagre de Amor é o segundo). Cada história é independente, estando relacionados num aspeto: todos falam de um conto de fadas mas de uma maneira diferente, totalmente inesperada. Neste livro o conto é da Cinderela. Vou ser sincera, quando era criança, adorava todos os contos desde a Bela Adormecida, Cinderela, a Branca de Neve, a Bela e o Monstro (ainda adoro este!), mas há medida que fui crescendo, fui olhando para os contos de uma forma mais racional e comecei a pensar "Isto não faz sentido nenhum xD". E na Cinderela penso exatamente isso, porque vamos ser sinceros, qual é a probabilidade de o sapato de cristal caber no pé de outra rapariga?! Eu iria dizer muita! Mas pronto, a autora deu a volta a essa situação do sapato, entre outras, e tornou a história desta pobre rapariga em algo encantador e divertido.

Para a época em que o livro se passa, os diálogos têm um q.b de texto moderno, mas que torna o livro apetitoso e rápido. A nossa Cinderela é a Kate e claro que têm uma madrasta má, mas em vez de duas irmãs más, tem apenas uma que não se mostra tão malvada como se esperaria. Há sete anos que a jovem Kate luta pelo trabalho dos seus empregados, tentando protegê-los das loucuras de Mariana (a madrasta má), e dos seus gastos exagerados em tudo o que é roupa da última moda e jóias. 

Kate acaba por se meter numa grande confusão de troca de identidades por causa da sua meia-irmã Victoria, que apesar de tudo, a protagonista sente uma bondade que lhe vai trazer umas situações bem divertidas. A protagonista acaba por "cair" num castelo em que o príncipe não é rico, está cheio de dívidas, e com personagens completamente excêntricos que trazem uma lufada de ar fresco e um ambiente divertido ao longo do livro. A madrinha é uma personagem totalmente inesperada,tornando-se a minha personagem secundária preferida. Adorei o fogo que existe nos diálogos entre Kate e o príncipe Gabriel, tornando-se uma espécie de metáfora de como cão e gato.

Eloisa James entrou definitivamente nas escritora de ler. Mal encontre o "Paixão Numa Noite de Inverno" vem comigo para casa.


Reacções:

4 Rabiscos:

  1. Esses dois livros que já leste são mesmo excelentes! É pena ainda não haver mais dessa série. Já o Paixão Numa Noite de Inverno não é tão bom, aconselho-te a não ires com as expectativas muito elevadas.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Oh que pena... Queria ler mais da autora mas que me deixasse satisfeita tal como os dois livros que li!
    Beijinhos

    ResponderEliminar