segunda-feira, 21 de abril de 2014

[Assírio & Alvim] Nó de Daniel Jonas

No preâmbulo a uma entrevista feita a Daniel Jonas, publicada no suplemento Ípsilon do jornal Público a 8 de janeiro de 2014, escrevia António Guerreiro que «[…] a poesia de Daniel Jonas atravessa tempos diversos: o clássico, o romântico, o moderno, numa apoteose de rastos e linhagens que comparecem subtilmente. Nela encontramos, no mais alto grau, a ideia da linguagem poética como concentração e densidade. Ela é hábil nos jogos retóricos e de palavras, mas nunca deixa que isso se torne um exercício fútil e gratuito.» Tudo isto é confirmado por «Nó», um livro de sonetos e o primeiro que o autor publica na Assírio & Alvim.


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário