quarta-feira, 2 de julho de 2014

Critica Literária - Honor Student de Teresa Mummert

Emma lives a very self-destructive life, barely making her way through college. Her world is turned upside down after meeting Mr. Honor, her new history teacher whose idea of discipline may be a little too much for Emma to handle. While trying to figure out their new relationship, they also have to deal with the very real possibility that someone has discovered their secret and is trying to hurt them. But Mr. Honor is keeping a few secrets of his own from Emma. 
Encontrei esta saga ao acaso e a sinopse pareceu-me interessante. Fui pesquisar mais pela internet e li alguns comentários que o comparavam às 50 sombras de Grey. Fiquei logo pé atrás porque caso não sabem, mas ficam a saber, eu não apreciei muito a famosa trilogia de sadomasoquismo. Mas fui “corajosa” e tentei dar uma oportunidade ao livro e sim há semelhanças, sendo elas que William e Christian são doms e ambos têm uma necessidade absurda de controlo, homens alfas. Apresentam também um passado cheio de tortura, uma infância horrorosa, e claro, caem de amores por uma rapariga que não querem trazer para o “lado negro” mas não se conseguem manter longe. Mas as semelhanças acabam por aqui porque a história é completamente diferente (Graças a deus!!).

A história também me lembra “Inferno de Gabriel” por ser uma relação proibida entre uma aluna e um professor.

Honor Student é contada na primeira pessoa por Emma Townsend, um estudante universitária de 21 anos que é rapidamente seduzida por um professor, Sr. Honor. Emma tem um passado sombrio e triste que a leva a ser auto-destrutiva e descuidada. Sr. Honor (William) é um homem que prefere viver a vida de um dominante e não pode ficar para assistir aos padrões destrutivos de Emma. É uma batalha de idas e vindas de egos e de relacionamento, e para além disso a relação de Emma e Williams está por um fio à medida que são chantageados por alguém que sabe o seu segredo. William passa a maior parte do livro empurrando Emma para longe ao tentar fazer a coisa certa, mas não consigo ficar longe da rapariga.

Emma é uma personagem doce e é perfeita para fazer o papel de uma meia-submissa. Ela desafia William suficiente para trazer conflitos, mas se submete a ele em todos os momentos perfeitos. No entanto, por ter 21 anos, ela sente-se extremamente juvenil e às vezes parece que ela deveria estar na escola, não na faculdade. Gostaria de saber mais sobre ela, sabemos que os seus pais morreram, mas não se sabe muito como, além do fato de que era um acidente de carro mas é uma vazio que permanece, que poderá ser respondido nos livros futuros.

Eu adorei os momentos em que as emoções de William são demonstradas. Ele é uma personagem muito fechada e desligada, até que os seus sentimentos explodem. Bem, Emma acaba por ser uma caixinha de surpresas. Por causa da família que ela tem, sempre pensei que seria uma rapariga carente, mas não, ela é forte e bate o pé a William. Claro que ela acaba por ter uma alma submissa, mas por vezes ela extrapola os limites e não se deixa intimidar.

Quanto à escrita, é um livro decentemente bem escrito e muito fácil de ler, sem problemas de vocabulário ou frases que o falam tropeçar. Acho que só haveria partes da história onde teria desenvolvido mais, mas sem grandes problemas.

Este livro é quente, ele é muito fácil e rápido de ler e vai manter o leitor a querer mais, e definitivamente animado para ler o ponto de vista do Sr.Honor!


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário