quinta-feira, 24 de julho de 2014

[Crítica Literária] The Proposition (The Proposition, #1) de Katie Ashley

With her thirtieth birthday looming, Emma Harrison finds her biological clock clanging and the elusive knight in shining armor yet to appear. She’s running out of options, especially after her gay best friend backs out from being her sperm donor. Of course, there’s always a sperm bank, but Emma fears a donor mix-up might impregnate her with the spawn of Satan.

Resident company womanizer, Aidan Fitzgerald, is used to always getting what he wants, especially in the bedroom. When Emma spurns his advances at the company Christmas party, he's determined to have her no matter what it takes. After Aidan learns of Emma's predicament, he is quick to offer a proposition that will benefit them both. He will father Emma's child, but she must conceive it with him naturally. Not one for hook-ups or casual sex, Emma is reluctant to take him up on his offer, but his charm, coupled with her intense desire for motherhood, wins out.

Soon their baby-making sessions become more than just physical. Aidan can't seem to walk away from her while Emma begins to wonder if Aidan could be the one. But can Aidan leave his past behind to become the man Emma needs him to be?

O que me agarrou à primeira vista neste livro foi a sinopse. Depois de a ler, eu disse para mim mesma: "Hm... Tenho que ler este livro!"

A história começa com a protagonista Emma a sentir o seu relógio biológico a fazer tique-taque aos 30 anos. Só que infelizmente não há sinal do seu par ideal em lado nenhum, sequer no horizonte. A ideia inicial era pedir o esperma ao seu amigo gay mas tudo vai furado quando este desiste da sua promessa. Emma ficava devastada e não sabe o que irá fazer para cumprir o sonho de ter um filho.

É aí que entra Ainda, um colega de trabalho lindo e com grande fobia a compromisso que lhe faz uma proposição: ele será o pai do filho de Emma mas terá que ser concebido naturalmente. Já estão a entender o que isto vai dar certo? Claro que Emma fica com o pé atrás desta proposta tão anti-normal, mas como o desejo de ter uma criança é tão grande, ela acaba por aceitar a oferta. E aqui começa tudo!

É adorável, vá não sei se adorável é mesmo a palavra certa, ver os sentimentos das personagens a desenvolver ao longo da trama mas sempre na tentativa de manter uma relação "profissional", se é que me entendem... Mas claro, sexo e atitude profissional nunca dá o plano original.

Houve momentos em que achei que foram apressados, outros que eu torci o nariz mas no geral, eu gostei mesmo da história.

Quanto a Aidan, andei o livro todo a mudar a opinião sobre. Comecei com um sorriso de orelha a orelha quando tudo começou, ansiosa para ver a mudança de sentimentos na personagem, mas o meu sorriso começou apagar-se à medida que os problemas de compromisso começavam a surgir... e bem foi frustrante! Eu queria bater-lhe, estrangulá-lo, jogar o meu querido Kobo na cabeça e gritar: Acorda para a p*** da vida pá! Senti tanta pena de Emma e vocês se lerem este livro também vão sentir pena dela! Só que há sempre uma réstia de esperança que este casal podia sobreviver.

Claro que o final acaba com o climáx da história e o que é que o leitor faz? Corre desesperadamente à procura da sequela!

Resumindo, foi uma leitura divertida com uma mistura de engraçado, doce e sexy. A história não é muito longa .O diálogo é extremamente bem escrito e a história flui tão bem que fiquei surpreendida de ser o primeiro livro da escritora! É bem Katie!


Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário