segunda-feira, 21 de julho de 2014

Rubrica: Viajando com os livros #2 Sintra


E aqui estamos para uma segunda edição da rubrica "Viajando com os livros". E quem é que conhece por aqui "Os Maias" do nosso amigo Eça de Queiroz (opinião aqui) ? Bem, por menos toda a gente que já tem o 12ºano xD 
Hoje, vamos viajar por solo nacional, a linda vila de Sintra! Eu já tive o prazer de passear pelas ruas de Sintra e visitar o famoso Palácio da Pena. 



"Sintra é uma vila portuguesa no Distrito de Lisboa, na região de Lisboa. Podemos encontrar em Sintra testemunhos de praticamente todas as épocas da história portuguesa e, não raro, com uma dimensão que chegou a ultrapassar, pela sua importância, os limites deste território. 

Palácio da Pena
Sintra é um testemunho de quase todas as épocas da história portuguesa. E vai muito além disso, Sintra é um achado de vestígios da própria história da Humanidade. Também de uma plêiade de conventos de meditação entre penhascos, bosques e fontes: de igrejas, capelas e ermidas, pólos seculares de fé e de arte; enfim, uma unidade cultural intacta numa plêiade de vestígios arqueológicos que apontam para ocupações várias vezes milenárias.

Palácio  da Regaleira
Sintra não é uma vila qualquer”, como escreveu em 1989 o historiador da Arte Vítor Serrão, Sintra é Património Mundial da Humanidade, é Paisagem Cultural(classificada pela UNESCO). Sintra é um universo paralelo, que só conhecemos dos sonhos, mas que existe aqui bem perto.

Jardim do Palácio da Pena
Sintra, com 377 835 habitantes é, logo após Lisboa (547 733 hab.) o segundo município mais populoso de Portugal. O apogeu do desenvolvimento extraordinário da paisagem de Sintra foi atingido com o reinado de D. Fernando II da dinastia Saxe-Cobourg-Gotha (1836-1885). Muito ligado a Sintra e à sua paisagem pelas quais nutria um grande afeto, este rei-artista implantaria aqui oromantismo de uma forma esplêndida e única para as regiões mediterrânicas. O rei adquiriu o Convento da Pena situado sobre uma montanha escarpada e transformou-o num palácio fabuloso e mágico, dando-lhe a dimensão máxima que apenas um romântico de uma grande visão artística e de uma grande sensibilidade estética podia sonhar. Este antecipa, por assim dizer, o célebre Castelo de Neuchwanstein erigido por Luís II da Baviera. Além disso, D. Fernando II rodeou o palácio de um vasto parque romântico plantado com árvores raras e exóticas, decorado com fontes, de cursos de água e de cadeias de lagos, de chalets, capelas, falsas ruínas, e percorrido de caminhos mágicos sem paralelo em nenhum outro lugar. O rei tomou também o cuidado de restaurar as florestas da Serra onde milhares de árvores foram plantadas, principalmente carvalhos e pinheiros mansos indígenas, ciprestes mexicanos, acácias da Austrália, e tantas outras espécies que contribuem perfeitamente para o carácter romântico da Serra.

Palácio do Seteais
Além da paisagem natural que, até longe, o envolve, situa-se no centro de um parque único no seu género, constituído por milhares de árvores reunidas nas quatro partes do mundo. Fenómeno esse que, de algum modo, se revela também no Parque de Monserrate.

Jardim do Palácio Seteais
Durante o século XIX Sintra exerceu uma influência considerável sobre o desenvolvimento da arquitectura romântica europeia (Palácio da Pena; Monserrate). No entanto, o seu interesse não se resume certamente a um ou dois edifícios de evidente importância, antes se diversifica numa plêiade de palácios e parques; de casas senhoriais, com os seus jardins e bosques; de palacetes e chalets envoltos numa vegetação exuberante; de longos trechos de muralhas que serpenteiam sobre os mais altos cumes da Serra, evocando séculos pretéritos; de conventos convidando à meditação, rodeados de musgosas falésias e de fontes murmurantes; de austeras igrejas e capelas, bem como de ermidas mais "humanizadas" e populares, umas e outras constituindo pólos seculares de Fé e de Arte; enfim, vestígios arqueológicos várias vezes milenares, que nos remetem para as nossas raízes mais longínquas."

E quem já teve a oportunidade de visitar Sintra? O que acham desta vila de Portugal? E quem é de lá? Espero um dia voltar a visitar Sintra, especialmente o Palácio da Pena porque quando fui (à dois anos) estava em obras e havia muitas secções e divisões que estavam restritas.
P.S: as fotos são da minha autoria.

Reacções:

0 Rabiscos:

Enviar um comentário